300x250 AD TOP

segunda-feira, 17 de março de 2014

Encontrado em: , ,

Sociedade - Blumenau, Era uma vez uma ponte.

Transcrevo aqui, na integra, o discurso do Alemão (Rodolfo Souza Neto) feito na Câmara no dia 13/03, onde defende o antigo projeto da ponte da ponta aguda, que misteriosamente defendida pela ACIB, agora mudam de opinião e aceitam o novo projeto, pelo jeito, Napoleão não vai construir tão cedo a ponte prometida na eleição.

Boa tarde presidente demais vereadores da mesa e presentes.

Agradeço a oportunidade de podermos nos manifestar nesta casa,

Venho hoje aqui em nome do movimento ponta aguda cidadã, e dos moradores do bairro ponta aguda.
Venho falar sobre a nova ponte do centro que teve seu estudo de impacto de vizinhança publicado no dia 05 de março, quarta feira de cinzas, audiência publica marcada para 12 dias depois, dia 17 de março, e o encaminhamento para aprovação no coplan no dia 19 de março. ASSIM RÁPIDO MESMO!

Gostaria de começar com um breve relato dos acontecimentos

Os moradores do bairro ponta aguda, acompanharam os debates por muitos anos sobre a nova localização da ponte do centro, ate que em 2011, foi apresentado o local definitivo, a rua chile e rua Rodolfo Freygang. todos os trâmites legais, como ,eiv, apresentação de licenças ambientais, audiência pública, além de passar por todos os órgão públicos necessários, foram cumpridos. Um concurso nacional, com as regras da própria prefeitura, foi realizado, para a escolha do tipo de ponte.

Gastou-se mais de um milhão e meio de reais até este ponto. Com a aprovação a prefeitura fez um projeto junto ao banco interamericano de desenvolvimento, que foi aprovado, restando somente , fazer a licitação para o inicio das obras. mas na campanha eleitoral do ano de 2012, o atual prefeito, colocou como bandeira de campanha a mudança de localização da ponte acima citada.

No decorrer da campanha esta mudança não ficou clara, apenas que o local estava errado após vencer as eleições, o prefeito manteve a ideia, nomeou em dezembro de 2012 o secretario de planejamento, que somente a partir dai , buscou dar continuidade a essa ideia, e começou a fazer estudos de onde colocar essa nova ponte.

Durante o ano de 2013, pelo menos três lugares diferentes, e três tipos de pontes foram apresentados, apesar dessa incerteza a afirmação sempre foi de que esta troca era eminentemente técnica, mesmo que durante todo este período não tenha sido apresentado qualquer parecer técnico ou a empresa ou pessoa que havia dado este parecer. Finalmente decidiu-se pela ponte ligando a rua itajaí a rua Paraguai, inicialmente com um viaduto sobre a rua itajai e quatro pistas, depois optou-se por um rebaixamento de rua e duas pistas .

Este local foi bastante controvertido, pela sua localização num sitio histórico em uma curva de rio. frente a uma flagrante desordem na condução dessa decisão técnica, o ministério público entrou com uma ação, questionando a mudança e a licitação. apesar de ganho liminarmente a mesma foi derrubada, mas o processo no judiciário continua.Nós moradores da ponta aguda, durante todo esse processo nos mobilizamos, participamos de audiência pública promovida pela câmara de vereadores, procuramos a secretaria responsável pela decisão. sempre houveram respostas evasivas quanto à configuração do trânsito em nosso bairro, nunca se apresentou proposta definitiva. Houve um compromisso da prefeitura, em que tomada a decisão quanto ao sistema viário, seriamos chamados para uma apresentação e discussão sobre o mesmo.

Fomos surpreendidos quando foi publicado o eiv, pois todos sabemos que aquilo ali proposto é o que será feito, não somos inocentes de aceitar que o debate na audiência pública , terá qualquer efeito de mudança, senhores vereadores todos sabemos que as audiências públicas são apenas consultivas e não deliberativas, são apenas uma forma de dar legalidade e a falsa impressão que a comunidade participou dessa decisão, ou será que algo tão complexo pode ser melhorado, modificado significativamente em um debate de uma hora?

O que mais chama a atenção é que nesse eiv, se desrespeita claramente o plano diretor da cidade, pois esta ponte não foi contemplada nele, o sistema viário proposto vai totalmente contrário ao que diz o plano diretor que foi aprovado por essa casa, este eiv , diz claramente que as diretrizes do Blumenau 2050 plano elaborado pela prefeitura , por essa câmara e por entidades representativas da cidade esta equivocado, plano esse que o senhor prefeito , assumiu seguir. As propostas viárias vão de um rebaixamento na rua itajai, sem o devido estudo geológico, da colocação de 4 pilares dentro do rio , mais dois na calha do rio, sem os devidos estudos hidrológicos. Falam em viadutos em áreas urbanas, coisa que no mundo inteiro é tido como ultrapassado, vide os casos do Rio e São Paulo , onde vem sendo implodidos um a um, sem mencionar o uso desses viaduto como depósito de pessoas com problemas sócio econômicos, vide cracolândia.

Citam o custo menor dessa ponte em torno de 30 milhões, mas não falam dos valores das indenizações necessárias, dos custos dos viadutos, dos custos necessários para implantar todo esse novo sistema viário. A decisão por uma ponte pobre arquitetonicamente, numa das áreas mais lindas da cidade, mais parecendo uma ponte de rodovia, o compartilhamento da ciclovia com pedestres, sem mencionar em nenhum momento a interação com o complexo ciliar da margem esquerda, em nenhum momento afirmam que essas modificações serão efetivamente feitas, ou que as verbas para as mesmas estão garantidas, fazem uma comparação de custos com a ponte aprovada para rua chile, usando um subterfugio para enganar a população, pois aquela ponte , como não tem pilares no rio, custa muito mais caro.

Afirmo aqui senhores vereadores:

Uma ponte , no mesmo modelo da proposta na rua Itajaí , na rua Chile, custara muitíssimo mais barata que a aqui proposta, pois as intervenções serão muito menores. Desafio a prefeitura a me desmentir, tudo isto nos leva a vir a essa casa pedir socorro, sabemos que a audiência passará e o dever burocrático terá sido cumprido, sabemos que será aprovado no coplan, o mesmo coplan que aprovou a ponte da rua Chile, e que nesse novo eiv, diz claramente que foi uma decisão equivocada, como confiar numa nova decisão desse mesmo órgão, o mesmo secretario que decidiu pela rua chile, diz que se equivocou naquela época, bem, é muito provável que esteja equivocado agora. Quero reafirmar aqui, os moradores da ponta aguda sabem e aceitam que haja uma nova ponte no bairro, estamos prontos para recebê-la, mas essa proposta apenas tira o trafego da beira rio e das pessoas que vem do Garcia e joga na frente das nossas casas, sem dar a ele a fluidez necessária.

Portanto convocamos os nobres vereadores e estarem ao nosso lado, buscar o bom senso, para uma discussão mais aprimorada, mais participativa, que a prefeitura efetivamente apresente um estudo em que ela se comprometa efetivamente a fazer, não entrei em detalhes técnicos, mas para os senhores entenderem o que eu digo, busquei o um detalhe para exemplificar a proposta viária apresentada. Nesta proposta a ponte Adolfo Konder terá em 2016 , apenas uma faixa para todos os veículos que vierem ao centro entrarem na beira rio, se hoje nesta área os engarrafamentos são quilométricos, imaginem em 2016.

Finalizando, sr presidente, pedimos o máximo empenho dos senhores para evitar que se faça na ponta aguda o novo trevo da Mafisa, onde enormes verbas foram depositadas e hoje os moradores continuam a não ter a mobilidade exigida. Senhores vereadores a ponta aguda pede ajuda, pede socorro!


Créditos das Imagens: Reprodução

0 comentários:

Postar um comentário