300x250 AD TOP

sábado, 21 de dezembro de 2013

Encontrado em: , ,

Política - Entrevista exclusiva com Mário Hildebrandt sobre "aumento da taxa de coleta de lixo".

Por Fabiano Uesler 
(Clique nas imagens para ampliar e clique em continuar lendo para ler a matéria na íntegra) 

Imagem: Reprodução
Entrevistei esta semana o Vereador Ivan Naatz sobre o "caso do lixo" desta vez quem fala em entrevista exclusiva com o Todo dia Blumenau é o Vereador Mário Hildebrandt. Novamente buscamos ouvir todos os lados da história que marcou a semana e o fim de 2013 em Blumenau. Segue a conversa:

TdB:
Qual foi motivo que o levou a votar a favor do projeto de lei?

Hildebrandt: Coerência, pois o projeto já havia sido apresentado pelo então prefeito João Paulo, mas não foi votado na época. A bancada PSD teve uma reunião com os servidores do Samae onde foi esclarecido os problemas e o déficit, dívida, que girava em torno de R$ 300 mil mensais e acumulo em mais de R$ 36 milhões ao longo da história para manter o tratamento adequado do lixo. Para cobrir esse rombo estavam sendo utilizados recursos da conta de água, o que diminuía o investimento na melhoria e ampliação da rede. Confiamos que isso irá auxiliar diretamente na superação dos diversos problemas de falta d’água que temos na cidade, em diversos bairros.

TdB:  Porque não houve uma análise sobre o impacto que o aumento causará à população Blumenauense?

Hildebrandt: Houve sim uma avaliação e estudo por parte dos vereadores. Inclusive em um blog, o líder do governo se manifestou favorável ao aumento.

TdB:  O projeto não poderia ser votado em 2014?

Imagem: Reprodução
Hildebrandt: Até poderia, mas nesse caso só poderia ser colocado em prática em 2015, aumentando assim o déficit do Samae durante esse 12 meses.

TdB:  Naatz afirmou que os colegas do PSD teriam se comprometido a rejeitar o projeto, mas não seguiram o acordo na hora da votação. O que o senhor pode falar sobre isso.

Hildebrandt: Não existe voto secreto, voto combinado ou sala secreta, isso seria um conchavo antidemocrático. Inclusive a nível de Brasil querem extinguir totalmente o voto secreto. Como posso definir meu voto antes de discutir o projeto na tribuna? Voto se decide na discussão da tribuna.

TdB:  O PSD deve apoiar o governo Napoleão Bernardes em 2014?

Hildebrandt: Não existe nenhuma confirmação nesse sentido, são especulações.

TdB:  O PSD assumiu a favor do SAME contra o sucateamento, porém isso não deveria ser feito com mais cautela pra não sobrecarregar a população?

Hildebrandt: Creio que é um debate que tem opiniões diferentes, mas o ideal seria mais alguns dias. Mas os vereadores do PSD, PR e SDD foram voto vencido nesse quesito. Quem quis votar foram os demais.


Imagem: Reprodução
TdB:  O Senhor deve assumir a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social ou a Liderança na Câmara em 2014?

Hildebrandt:
Isso não é verdade, não existe nenhum convite para liderança do governo ou secretária. Já manifestei também várias vezes que não está em meu projeto voltar a ser secretário municipal, bem como não pensei em ser líder do governo.

TdB:  Quais ações e projetos em favor dos blumenauenses que estão por vir e o povo pode esperar melhoras na administração pública municipal com esta aliança?

Hildebrandt: Não tem aliança. Sempre falamos como bancada que nosso voto é de acordo com cada projeto. Não temos conhecimento de quais projetos que o prefeito via enviar, mas nós vamos avaliar cada um.


Agradeço ao Sr. Hildebrandt por nos conceder a entrevista e concluo novamente que nada do que disse em matérias anteriores muda. Hildebrandt afirma que não existe confirmação de que o PSD deve apoiar o governo no próximo ano, apesar do Prefeito afirmar na imprensa que pediu apoio ao partido de Hildebrandt para passar o projeto. O que já confirma no mínimo um "flerte" entre prefeito e PSD. Apesar de um tanto esquivo Mario não parece confortável com a situação pois também afirmou inclusive em imprensa que apoiou a decisão do partido na votação o que é deplorável. Apesar do sucateamento do SAMAE a população não deve ser onerada desta maneira com um aumento que ultrapassa as barreiras do bom senso.
Tanto Naatz quanto Hildebrandt afirmam em uníssono que o projeto foi votado em 2013 pra que entre em vigor no próximo ano. Um fato interessante é o de que Hildebrandt afirma que "o líder do governo se manifestou favorável ao aumento", seria então Naatz favorável? Será que Naatz aproveitou a situação para justamente fazer oposição ao governo de maneira a se destacar no cenário político e com isso ganhar destaque em 2014? 
Outro fato muito interessante foi quando afirmou que "os vereadores do PSD, PR e SDD foram voto vencido nesse quesito. Quem quis votar foram os demais." Ou seja, "os demais" inclusive Naatz "quiseram" forçar a votação? mas por qual motivo?
Cada vez mais esse episódio "fede" e deixa claro somente duas coisas, a primeira é que em 204 termos um aumento na taxa de coleta de lixo urbana que beira o ridículo. A segunda, seria todo esse episódio apenas movimentação política para a movimentação do "tabuleiro" para o jogo do próximo ano? Infelizmente para ver o desfecho devemos aguardar impacientes como serão movidas as próximas peças deste jogo. O problema é justamente o de acharem que nós a população somos os peões.

0 comentários:

Postar um comentário