300x250 AD TOP

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Encontrado em: , ,

Crueldade ou ciência?

Por André F. de Souza


Foto: Reprodução
Gostaria que meu primeiro artigo neste espaço fosse algo que talvez pudesse fazer as pessoas pensarem melhor, algo para com certeza receber muitas críticas e então me veio em mente aproveitar a deixa desse assunto tão polêmico sobre o “resgate” dos cachorrinhos no instituto Royal e todo este papo de crueldade com animais.    
         
Primeiramente vamos deixar claro que esta é uma avaliação baseada em fatos e não em posts alheios ou “matérias” publicadas por corporações de extrema esquerda ou extrema direita.


A ciência busca a verdade, o esclarecimento das dúvidas baseado nos fatos científicos, e quando falamos de algo que impacta diretamente o ser humano tais fatos são muitos mais minuciosos e delicados, precisando de uma análise muito mais detalhada, cada remédio ou mesmo cosméticos para que passe a ser fabricados precisa ser submetido a milhares de testes e anos de pesquisa e tudo isso deve ser estudado a fundo, portanto SIM os testes em animais infelizmente ainda são necessários, porém na esmagadora maioria dos casos são utilizados ratos para as pesquisas, em alguns casos são utilizados cães ou outros animais por exeplo.
Agora vamos ver os "porquês" disso, por que ainda insistem nessa "crueldade" ao invés de serem feitos os testes em cobaias humanas voluntarias, ou quem sabe nos próprios pesquisadores não é mesmo?  (nem vou comentar sobre utilizar presos ou assassinos como cobaias impostas pois tal alegação é o maior absurdo que se possa imaginar).

Probleminha técnico Número 1: As cobaias voluntarias obrigatoriamente devem estar acondicionadas exatamente sob as mesmas condições, temperatura do ambiente, pressão atmosférica, altitude em relação ao nível do mar. Comer a mesma quantidade e tipo de comida, beber a mesma quantidade de água e por ai vai. Mudanças de temperatura ou pressão, assim como dieta por exemplo, em um grupo e não em outro podem acarretar em resultados diferentes portanto toda a pesquisa vai para o ralo;

   Probleminha técnico Número 2 : Tempo de vida e avaliação a longo prazo, como dito anteriormente na maioria absoluta dos casos as cobaias preferíveis são ratos por alguns motivos, primeiro a facilidade e rapidez de reprodução, então você tem muitas cobaias em pouco tempo, segundo o curto tempo de “amadurecimento” destes bichinhos, eles passam de filhotes para vida adulta e velhice em pouco tempo sendo assim possível estudar o efeito das terapias a longo prazo, associando assim possíveis causas e reações adversas que o tratamento pode ou não causar em indivíduos com certa idade celular, fazer isso em cobaias humanas levaria no mínimo 20 anos em quanto nos ratos 2 meses;

   Probleminha técnico Numero 3: A quantidade da “nova substancia” a ser usada sem dúvidas deveria ser muito maior se usadas em humanos voluntários tornando a pesquisa muito mais cara para ser desenvolvida.

Estes são apenas alguns dos muitos fatores envolvidos na escolha de cobaias animais, agora vamos a outra face da moeda, existe crueldade nos testes? Para fiscalizar isso o governo federal criou a CONCEA “Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal” dentro da ciência não a espaço para bagunça tudo dentro de uma pesquisa segue padrões extremamente rígidos de comportamento e são constantemente fiscalizados não só pelas autoridades mais principalmente pelos próprios pesquisadores que não podem arriscar perder anos de estudo por que uma de suas cobaias durante um teste adoeceu e morreu. As cobaias (como explicado a cima) devem ficar constantemente sob observação e sempre saudáveis para que os efeitos sejam estudados minuciosamente.

Foto: Reprodução
Vamos falar agora sobre cosméticos, “nossa que brutalidade aquelas fotos dos olhos dos coelhinhos para testarem cosméticos”. De fato horríveis as fotos, mais o que o fotógrafo não falou  foi a data dessas fotos, sendo que atualmente alguns testes podem ser feitos em tecido sintético porém em alguns casos ainda é impossivel se fazer isso de outra forma, como dito anteriormente o teste em geral é feito em ratos porém em alguns casos é necessário o teste em mais de uma espécie. Outro fator importante para resaltar é a propaganda que algumas empresas de cosméticos fazem dizendo em alto e bom tom que não fazem testes em animais MENTIRA todo e qualquer cosmético tem que ser submetido a testes em animais pela legislação da ANVISA assim como pela legislação das outras agencias regulamentadoras dos outros países, o que essa marca pode fazer é terceirizar os testes assim como as pesquisas, portanto no final das contas os produtos dela também foram testados sim, ou simplesmente usarem apenas produtos (matérias primas) que os efeitos já são conhecidos e devidamente registrados, então essa empresa apenas se utiliza da pesquisa dos outros para vender seu produto, e cá entre nós qualquer uma das duas opções torna essa empresa no mínimo cara de pau ou por mentir sobre não haverem sido feitos testes em animais para o seu produto ou por “lançar” um produto “novo e revolucionário” que já tem sim sua formula ativa e utilizada por outras empresas a tempos.

Outro ponto importante a se analisar nestas situações é o fato de que nenhum, absolutamente nenhum pesquisador gosta de submeter animais a testes, mesmo os ratos. Na verdade esta é uma das maiores barreiras e dificuldades que um estudante de ciências biomédicas ou farmacêuticas tem que enfrentar, mais infelizmente nós ainda não temos tecnologia para realizar todos os testes em tecidos sintéticos ou com auxilio de cálculos e informática.
A evolução dos produtos sejam farmacêuticos, cosméticos ou quaisquer outros precisam invariavelmente ser testados por anos a fio, e cada uma das suas reações precisam ser analisadas e reanalisadas para que nós tenhamos um produto seguro em nossas casas, um preço duro admito mais que infelizmente precisa ser pago.
Para quem quiser mais informações a respeito estou postando os sites das agencias regulamentadoras de pesquisa vale a pena conferir a verdade, o que são as pesquisas e como são feitas.


Agradeço os comentários, pois da discussão vem o esclarecimento e a oportunidade de olhar o assunto com outros olhos, respeitando os pontos de vista alheios.
Um grande abraço, e até a próxima.


3 comentários:

  1. Muito boa a matéria, extremamente relevante e necessária.

    ResponderExcluir
  2. Matéria de primeira, esclarecedora sem ser tendenciosa, parabéns!

    ResponderExcluir