300x250 AD TOP

segunda-feira, 24 de março de 2014

Encontrado em: , ,

Trânsito - Campanha Paz no Trânsito e Maio Amarelo em Blumenau ganham novas adesões


Pegue uma boa ideia e um monte de gente com vontade de mudar as coisas para melhor; adicione empatia, humanidade, determinação, cooperação, muita solidariedade e terá uma sociedade organizada em torno de uma causa: uma ação coordenada entre a sociedade organizada e Poder Público para conscientizar as pessoas sobre a necessidade de autocuidados e preservação da vida no trânsito. É isso que buscam as 20 entidades e 39 participantes da Campanha Paz no Trânsito: faça a sua parte!
Quem é o pai ou a mãe da criança pouco importa: estamos mais preocupados, interessados e engajados em fazermos a nossa parte, em darmos o melhor de si para uma Blumenau unida pela paz e a humanidade no trânsito. Basta saber, até para constar na biografia, que a iniciativa partiu do Conselho de Segurança do Bairro da Velha (Conseg134) depois que eu, Márcia Pontes, como educadora de trânsito, recebi da presidente, Vivian Persuhn, o convite para começar a frequentar as reuniões do Conseg.

Na reta final da graduação em Segurança no Trânsito pela UnisulVirtual, sempre procurei praticar a extensão universitária, aplicando na prática, em forma de projetos educativos e preventivos, os conhecimentos construídos ao longo do curso. E foi com esse espírito que me uni ao Conseg da Velha.

O murro na mesa

Só o que não sabíamos é que o dia 4 de fevereiro mudaria para sempre a nossa história: a história de dona Iracema Schnatz, 75 anos, a história do Conseg134 e a própria história de se traçar estratégias educativas e preventivas para a preservação da vida no trânsito em Blumenau.

Dona Iracema foi atropelada em cima da faixa de pedestres em frente ao Terminal da Velha. Não resistiu aos ferimentos e às diversas fraturas e morreu 3 horas depois no hospital.

Essa foi a gota d’ água. Esse foi o murro na mesa para se dar um basta à nossa indiferença. Um basta ao modo como vínhamos fazendo as coisas e para inaugurar um jeito novo, mais humano, mais parceiro, mais solidário, mais atuante de cada um exercer a sua responsabilidade social em relação à preservação da vida no trânsito.

Partiu de dentro do Conseg134 a ideia de fazermos uma campanha de trânsito no nosso bairro e de iniciarmos um projeto modelo que seria apresentado à sociedade. Só que a sociedade tem pressa, não sabe quem será a próxima vítima no trânsito e qual de nossas famílias vai chorar a dor da perda de um ente querido morto em acidente de trânsito.

A sociedade tem pressa e uma vontade enorme de se organizar, de começar a fazer alguma coisa, e por isso o projeto se estendeu à toda Blumenau.

Nunca na história de Blumenau se viu tamanha mobilização, tanta gente junta, cada qual representando um setor da sociedade organizada: empresas, terceiro setor, profissionais liberais, poder público, órgãos de segurança pública, em torno de uma questão de tamanha necessidade e abrangência. Ainda mais em se tratando de trânsito. E o melhor de tudo é que a cada dia cresce a adesão de novos parceiros, de novos multiplicadores.

A primeira reunião foi no dia 28 de fevereiro, com 20 pessoas representando 17 entidades. Já na segunda reunião, no dia 13 de março, foram 38 pessoas representando agora 28 entidades. E vem mais gente, mais parceiros por aí para a próxima reunião no dia 27 de março, pois os organizadores da campanha estão fazendo novos convites e dá as boas-vindas a quem quiser participar.

Ações contextualizadas, coordenadas e sistêmicas


O projeto começou e começou bem: integrado ao Projeto Pequenas Ações, Grandes Valores, no Cantinho do Bom Pastor, no Bairro da Velha. Todas as crianças do CEI e suas famílias participam desse projeto permanente de educação para o trânsito que inclui até as crianças do berçário. Nas reuniões com os pais eles foram apresentados ao projeto e se tornaram colaboradores fiéis. Seus filhos fazem o curso de Agente de Trânsito Mirim no próprio CEI e no dia da formatura recebem uma CNH Mirim, que os autoriza a dirigir somente veículos apropriados para crianças (Velotrol, Tonka, bicicleta) e também a chamar a atenção dos adultos que não se comportam bem no trânsito.

Conheça as primeiras ações do projeto realizadas com as crianças e suas famílias. O próximo público-alvo são os alunos do Ensino Médio das escolas da área de abrangência do Conseg134.



As crianças também recebem talões de multa moral para autuar o pai infrator. E a garotada garante: os pais e outros adultos passaram a comportar muito melhor no trânsito aprendendo com elas.

Outra ação que promete ser histórica em Blumenau é o Movimento Internacional Maio Amarelo, de conscientização para a redução de acidentes e por um trânsito seguro para todos em qualquer situação. O objetivo é bem este: colocar em pauta, para a sociedade, o tema trânsito e estimular a participação da população, empresas, governos e entidades numa ação e reflexão permanente. Inspirado em movimentos como o Outubro Rosa e Novembro Azul tem como símbolo o fitilho amarelo para usar na lapela.

Novas comissões de trabalho estão se formando, mas a comissão organizadora do Maio Amarelo já se reuniu pela primeira vez para traçar o planejamento e as linhas de execução das ações. E pela vontade, pela garra, pela sede, pela cooperação, solidariedade e vontade de trabalhar de todos, teremos um movimento e uma mobilização histórica da população durante todo o mês de maio e de forma permanente na cidade.

Afinal, não é todo dia que se reúne parceiros em torno de uma causa comum, tais como: Conselhos Comunitários de Segurança dos 35 bairros, Secretaria de Desenvolvimento Regional, ABLUDEF, Comissão de Defesa dos Direitos dos Portadores de Deficiência e Patologia (CODEPA), Rede Feminina de Combate ao Câncer, Instituto William Naatz de apoio às vítimas de acidentes e suas famílias, ACIB, AMPE e ABC Ciclovias.

Some-se a esse time a Coordenação do Fórum Municipal de Segurança Pública, Saúde do Idoso/Pró Família, gabinetes, Câmara de Vereadores, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Civil/DETRAN, Corpo de Bombeiros, Instituto Federal Catarinense, CEREST, Escola Pública de Trânsito, Guarda Municipal, SEST/SENAT e Sindicato das Autoescolas (SINDEMOSC).

Dada a quantidade de entidades e a complexidade do trabalho, os convites continuam sendo feitos a outros parceiros indispensáveis em qualquer ação dessa dimensão coletiva. Num sinal de trégua paramos de bater e de apanhar para, juntos, darmos cada um o seu melhor para um trânsito de paz, mais humano e solidário.

Sozinhos podemos pouco. Juntos, podemos salvar milhões de vidas! Esse é o exemplo que vamos dar ao Brasil e ao mundo.


Por Márcia Pontes
Educadora de Trânsito


Imagens: Reprodução

0 comentários:

Postar um comentário