300x250 AD TOP

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Encontrado em: ,

Tradição alemã pra inglês ver.

Por Fabiano Uesler 

Foto: Divulgação.
Foto: Reprodução.
  Tenho visto esta semana questões em votação na câmara de vereadores sobre a entrada na Oktoberfest . Entrada livre ou paga para trajes típicos? A resposta coerente deve ser entrada livre para trajes, pois numa Blumenau feita pra inglês ver com “construções enxaimel” falsas, bem do tipinho daquelas falsificações baratas do Paraguai que tanto conhecemos, o mínimo de remanescente cultural deve ser preservado.
Vejamos, nosso poder público não se interessa pela preservação de imóveis tradicionais da cidade que contam nossa história e mostram nossa cultura, vemos aí o exemplo dos prédios antigos bem no início Rua XV de Novembro ou de casas e casarões da cidade de várias épocas que se não são preservadas pelas famílias mais abastadas ficam ao léu, desmoronando e apodrecendo a vista de todos. Quando muito ocorre de vez em quando alguma campanha em redes sociais onde são postadas fotos das construções abandonadas. Lembro-me bem de uma casa enxaimel na dois de setembro perto da rodoviária que via desde a infância e que foi deixada de lado até que nem seus pregos tenha sobrado.

   Quando tinha 12 anos me mudei de Pomerode onde passei minha infância para Blumenau, isto nos idos anos 90, o que na época me causou um estranhamento imensurável. Vim de uma cidade em que o Alemão até então era falado diariamente por quase todos inclusive minha família, onde estudei numa escola que oferecia Alemão como segundo idioma. Vim também de uma família na qual “kochkäse”, “apfelstrudel” e “eisbein” faziam parte do cotidiano, ou seja, os famosos queijo cozido, strudel de maçã e joelho de porco. Acontece então que tive que voltar a morar em Blumenau e acreditem, o choque cultural foi medonho pelo fato de que Blumenau havia perdido sua origem, tradições costumes, assim perdeu o Alemão falado no dia-a-dia, logicamente nessa negativa eu excluo locais recônditos como o Distrito da Vila Itoupava que até hoje ainda mantém um pouco da nossa antiga cultura. Até me acostumar a escolas públicas em que pouco ou nada se trabalhava da cultura local, até ser considerado estranho por ser Blumenauense e loiro, fato esse que ocorre cada vez mais, logicamente me refiro a ser Blumenauense.
   Resquícios da cultura local perduram em Clubes de Caça e Tiro ( Schützenvereine), grupos folclóricos e Corais Luteranos que ainda cantam em Alemão espalhados pela cidade. Como disse antes, nossas construções cada vez mais somem ou são trocadas por “falsos enxaimeis", pensam em fechar clubes de caça e tiro e os grupos folclóricos que são considerados como estrelas da Oktoberfest pouco são valorizados e quase nada divulgados. Criamos uma Pseudo Tradição feita pra enganar Paulistas e Cariocas em época de Oktoberfest.

Foto: Reprodução.
   Todo o alarde sobre os trajes típicos demonstra como valorizamos pouco nossas raízes. Devo salientar em primeiro lugar que uma bermuda jeans costurada com tiras pretas e minissaias verdes em nada se assemelham aos verdadeiros trajes típicos. Agora, a questão de pagar meia-entrada ou entrar gratuitamente por um lado cheira a “arrependimento” sobre a gratuidade dos trajes. Depois de 2012 percebeu-se que muitas pessoas entravam sem pagar trajados tipicamente e parece que pesou no bolso ou nos bolsos de alguém. A questão não é dada complicada e caímos novamente na mania da reclamação. Primeiro a Prefeitura Municipal deveria estabelecer como devem ser os “trajes típicos” e homologar sua fabricação a quem se interessar em fazê-lo, em segundo, pessoas usando os trajes típicos homologados devem entrar gratuitamente na Vila Germânica(Enxaimel Paraguaio) não importando o dia da semana. Em terceiro cobra-se meia-entrada ou entrada inteira dos trajes não homologados mas dentro das conformidades, assim como, logicamente, deve-se cobrar entrada inteira dos “pseudo trajes” típicos que são feitos no improviso, como minissaias tradicionais(do Cazaquistão talvez?) e bermudas feitas ao léu. Os trajes típicos só têm a adicionar ao pouco que restou da nossa antiga Blumenau e convenhamos que depois de tantos anos em gratuidade a cobrança da entrada de fato parece um “arremate de migalhas” das cifras de entradas da Oktoberfest.
   Saudades da Verdadeira Blumenau, cidade de lindos jardins, de dança folclórica, de culinária típica alemã, de empreendedorismo e tradição, cidade de gente séria mas nem por isso menos alegre e de bem com a vida, de um povo austéro e trabalhador. Substituímos o verdadeiro de que dispunhamos muito pelo Falso e Fajuto, que realmente só serve pra inglês ver.
Publicado originalmente no Portal Blumenews em: Sexta, 06 Setembro 2013 07:03  +Blumenews de Blumenau 

0 comentários:

Postar um comentário